Carregando...
EducaçãoMEC

Michele Melo assume área de estudos educacionais do Inep

A economista Michele Cristina Silva Melo é a nova diretora de Estudos Educacionais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Michele é doutora em Economia, com atuação acadêmica e em órgãos públicos, como a Agência Espacial Brasileira (AEB) e o Ministério da Saúde. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 26 de abril.

De acordo com Michele, “será um grande desafio assumir a diretoria e, em conjunto com os servidores e colaboradores, prepará-la para gerar subsídios de excelência para as tomadas de decisão da presidência do Inep e também do Ministério da Educação (MEC)”.

Ao longo da carreira, Michele Melo exerceu as funções de professora, coordenadora e sub-chefe nos departamentos de Economia e Engenharia de Produção da Universidade Federal Fluminense (UFF), no estado do Rio de Janeiro. No Ministério da Saúde, atuou na área de orçamento e finanças da pasta. Já na AEB, onde atuava até a sua chegada ao Inep, foi assessora de Inteligência Estratégica e Novos Negócios, chegando a atuar como diretora interina da autarquia, entre janeiro e março de 2021.

Em sua trajetória na AEB, Michele coordenou estudos econômicos e de governança sobre o setor espacial, além de participar do Comitê de Desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro, sendo responsável pela articulação com os ministérios da Defesa; da Ciência, Tecnologia e Inovações; da Economia; da Casa Civil e também com o Gabinete de Segurança Institucional em assuntos relativos ao setor.

Na agência, também desenvolveu estudos sobre regulamentações econômicas, além de coordenar iniciativas e programas como a candidatura nacional para sediar o International Astronautical Congress (2022 e 2024) e o Fórum da Indústria Espacial Brasileira. Michele Melo atuou, ainda, como presidente da Comissão de Ética da AEB.

Acesse a Portaria publicada no DOU

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações do Inep

 

Fonte: Ministério da Educação
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *