Carregando...
Notícias

Novo Saeb usará tecnologia para aprimorar avaliação

Nós nos libertamos das amarras do papel, daquele mesmo modelo de prova que é feito há mais de cem anos, e partimos para explorar tudo aquilo que a tecnologia nos traz”. Em participação no webinário “Fronteiras da Avaliação”, promovido pela Fundação Lemann, nesta segunda-feira, 26 de outubro, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, falou sobre a reformulação do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Na fala de abertura do evento, a diretora de Educação da fundação, Camila Pereira, reconheceu a importância da participação do presidente do Inep no ciclo de debates, em virtude da função da autarquia no que diz respeito às avaliações de ensino. O Novo Saeb contará, já em 2022, com provas digitais a partir do 5º ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio.

O objetivo é aprimorar a qualidade da avaliação, com o advento da tecnologia. “Vamos precisar migrar. Por isso, o Novo Saeb já nasce digital”, comentou Lopes, ao falar da transição entre o modelo avaliativo em papel e o novo formato a ser implementado. Alunos do 2º, 3º e 4º ano, no entanto, ainda contarão com a aplicação tradicional. “A nossa equipe entende que, como a criança ainda é muito pequena, nesses casos, pedagogicamente, é melhor que se faça uma avaliação em papel, pelo menos nesse momento”, explicou o presidente do Inep.

Além da nova plataforma utilizada na aplicação, o Novo Saeb terá provas adaptativas, com o sorteio das questões seguintes pelo computador. A cada item que o aluno fizer, o sistema apresentará a questão seguinte, baseada na resposta dada no item anterior. Cada avaliação, portanto, será única para o estudante. O objetivo é ter mais agilidade e precisão no cálculo da proficiência dos participantes. O novo formato também permitirá uma cobertura mais eficiente da matriz de prova, com menos itens incorporados à avaliação.

Outra novidade na reformulação do Saeb diz respeito à utilização de questões abertas na prova — atualmente, existem somente itens de múltipla escolha. “Novas matrizes, nova forma de avaliar, uso de questões abertas e plataforma digital. Tudo isso é para preparar o Inep para o futuro e melhorar a qualidade da avaliação”, comentou Alexandre Lopes. O Inep levará os equipamentos para a aplicação digital aos locais de prova. Nesse sentido, as escolas não precisarão ter acesso à internet. “Com isso, a gente vence a dificuldade de as escolas não terem a conectividade e os equipamentos necessários”, ponderou o presidente do Inep.

Devolutivas – Entre outros aspectos, a implementação do Novo Saeb tem como objetivo dar subsídios ainda mais precisos ao governo, aos gestores e à família do aluno, para que os planos educacionais e os desempenhos sejam avaliados de forma mais eficaz e rápida. “O Saeb foi concebido para ser uma avaliação de sistema. Por isso, as provas não acontecem todos os anos e não é censitária. O Saeb foi se tornando uma avaliação importantíssima na educação brasileira. Está na hora de pensar em um novo ciclo avaliativo, uma nova forma de avaliar os alunos”, disse Lopes. “Nosso objetivo é levar as devolutivas pedagógicas, de forma tempestiva, para todos os alunos. A família vai saber como está o estudante, os professores vão saber como estão os alunos. Com isso, eles irão poder fazer uma autoavaliação do seu plano de aula, assim como os gestores poderão elaborar melhor o planejamento. Secretários estaduais e municipais poderão, por exemplo, trabalhar a capacitação dos professores de modo mais direcionado”, complementou.

Lopes chamou a atenção também para a importância do Saeb, em relação ao monitoramento dos impactos pela pandemia de COVID-19 na educação. “O Novo Saeb será importante para avaliar o impacto da pandemia no sistema educacional. Será mais um estudo que vai ajudar o Brasil a entender seu processo educacional e como a pandemia afetou nossos alunos, para que a gente possa trabalhar para recuperar os prejuízo que foram causados”, pontuou.

Reformulação – A partir de 2021, o Saeb passará a ser aplicado anualmente. Com aplicações em um intervalo menor de tempo, será possível ter um acompanhamento mais preciso dos desempenhos de alunos, professores e gestores das redes de ensino, o que possibilitará a implementação de políticas e programas educacionais mais imediatos, tendo as evidências da avaliação como subsídios. A nova avaliação contemplará alunos desde o 2º ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio, em todas as áreas de conhecimento.

Enem seriado – O Enem passará a ser aplicado, de maneira seriada, nos três anos finais da educação básica, correspondendo ao Saeb do ensino médio. Ainda assim, o exame continuará com a aplicação no modelo atual. A implementação será feita de maneira gradual. Em 2021, a prova será aplicada, em formato digital, na 1ª série do ensino médio, para todos os alunos das redes pública e privada. A aplicação ocorrerá nas escolas e a matriz de prova será baseada nas disciplinas de língua portuguesa e matemática, em função da implementação dos currículos do novo ensino médio.

Nova matriz – Com a reformulação do exame, a matriz de prova do Enem será substituída pela do Novo Ensino Médio. O Ministério da Educação (MEC) e o Inep articulam a elaboração da nova matriz, juntamente com entidades educacionais, como a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

Saeb – Realizado desde 1990, o Sistema de Avaliação da Educação Básica é um processo de avaliação em larga escala, realizado periodicamente pelo Inep. O Saeb oferece subsídios para a elaboração, o monitoramento e o aprimoramento de políticas com base em evidências, permitindo que os diversos níveis governamentais avaliem a qualidade da educação praticada no país. Por meio de testes e questionários, a avaliação reflete os níveis de aprendizagem demonstrados pelo conjunto de estudantes. Esses níveis de aprendizagem estão descritos e organizados de modo crescente, em escalas de proficiência de língua portuguesa e de matemática, para cada uma das etapas avaliadas. A interpretação dos resultados do Saeb deve ser realizada com apoio das escalas de proficiência. Os resultados de aprendizagem dos estudantes, apurados no Saeb, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Enem – Realizado anualmente pelo Inep desde 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar ao final da educação básica. A estrutura do exame conta com uma redação e 45 questões em cada prova das quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias. As provas da edição 2020 do exame estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital).

Fonte: INEP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *